A economia brasileira dá sinais de uma nova década Perdida

PUBLICIDADES
PUBLICIDADES

A pandemia do coronavírus atingiu de forma drástica a economia brasileira, que já vinha fragilizada, após um período de recessão. Os efeitos da crise, que paralisou as atividades econômicas causando desemprego e perda de renda da população, levarão o país a mais uma década perdida.

O pior período econômico de dez anos enfrentado pelo Brasil, até então, ocorreu nos anos 1980. Foi a década da hiperinflação e pela crise da dívida externa. Entre 1981 e 1990, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro subiu, em média, 1,7% ao ano. No período de dez anos que se encerra em 2020, caso a economia atinja uma retração de 7% neste ano, o PIB médio anual será de -0,1%. Assim, isso significa que o país encolheu ano após ano na última década.

O Brasil está empobrecendo. Ademais, vamos entrar na próxima década fragilizados. Dessa forma, por isso, podemos ter mais uma década perdida. Até meados do período de 2021 a 2030, teremos uma retomada lenta e uma sequência de anos de crescimento econômico baixo.

PUBLICIDADES

Mais informações sobre a situação da economia brasileira

O que poderia mudar essa tragédia anunciada da economia brasileira seria o avanço nas agendas estruturantes, como a aprovação das reformas administrativas. Elas racionalizam a administração pública federal, e tributária, que reduz o custo da produção brasileira. Porém, com tamanha instabilidade política, as reformas não devem avançar neste ano, o que inibe o crescimento da economia brasileira.

PUBLICIDADES

Sem as reformas, o Brasil não conseguirá atrair investimentos produtivos, sejam internos ou externos. Outro ponto que afasta os investimentos é a instabilidade política, que traz insegurança aos investidores, retardando uma possível retomada econômica.

Ademais, as projeções dos economistas para o PIB brasileiro de 2021 têm sofrido sucessivos cortes e variam de um crescimento de 1,5% a 3,5%. Os motores para impulsionar o PIB brasileiro estão praticamente exauridos. Assim, afetados diretamente pela pandemia, os setores de serviço e da indústria estão em forte retração após a interrupção das atividades.

 

A pandemia do coronavírus atingiu de forma drástica a economia brasileira, que já vinha fragilizada, após um período de recessão. Entenda! (Foto: google imagens)

 

A interrupção dos contratos de trabalho e o aumento da taxa de desemprego, que pode subir dos atuais 12,6% para 17%, provocarão uma forte queda da renda. Esse corte do orçamento das famílias levará à retração do consumo, que implica em menor faturamento das empresas e no desemprego.

À medida que o país procura financiar equipamentos e tratamentos médicos para enfrentar a pandemia, o Brasil se vê forçado a drenar recursos que poderia ser utilizados para a geração de empregos. A ausência de investimento elimina qualquer possibilidade de crescimento potencial da economia brasileira em uma recuperação pós-pandemia. Uma década perdida se anuncia.

yoast:

A pandemia do coronavírus atingiu de forma drástica a economia brasileira, que já vinha fragilizada, após um período de recessão. Entenda!

PUBLICIDADES

Deixe um comentário